1º Soneto de Dante, Hannibal e a batalha de rimas de Antipasto

O primeiro episódio da terceira temporada de Hannibal nos presenteou com a bela visão de Hannibal e Bedelia du Maurier vivendo de forma exuberante em Florença, na Itália. Um colega de trabalho ciumento, o professor Sogliatto, tentou intimidar o agora conhecido como “Dr. Fell” sobre ser um não-italiano a representar a cultura italiana, provocando uma batalha de rimas em uma cena que poderia ser concluída com um HANNIBAL WINS, ao som de TURN DOWN FOR WHAT.

Soneto I de Vita Nuova

A ciascun’alma presa, e gentil core,
nel cui cospetto ven lo dir presente,
in ciò che mi rescrivan suo parvente
salute in lor segnor, cioè Amore.
Già eran quasi che atterzate l’ore
del tempo che onne stella n’è lucente,
quando m’apparve Amor subitamente
cui essenza membrar mi dà orrore.

Allegro mi sembrava Amor tenendo
meo core in mano, e ne le braccia avea
madonna involta in un drappo dormendo.
 Poi la svegliava, e d’esto core ardendo
lei paventosa umilmente pascea:
appresso gir lo ne vedea piangendo.

Vita Nuova (em português Vida Nova) é a obra de juventude do escritor italiano Dante Alighieri, escrita provavelmente entre 1292 e 1293, na qual ele narra a história de seu amor por Beatrice Portinari, a filha de Folco Portinari, um nobre da cidade de Florença.
A narrativa tem início com o primeiro encontro de Dante com sua amada Beatrice (Beatriz Portinari), quando ambos tinham 9 anos, e o segundo, exatamente 9 anos depois, aos 18. Nessa ocasião, ele tem um sonho místico e alegórico, no qual vê “Amor” que aprisiona Beatriz em seus braços. A donzela tem nas mãos o coração de Dante, que devora em lágrimas. Esse é o motivo para os primeiros versos, posto que o Poeta pede a seu amigo, o poeta stilnovista Guido Cavalcanti, a interpretação deste sonho, à qual responde com outros versos.
Dante relata, então, o seu sofrimento por ter de esconder seu amor, o que inclui cortejar falsamente outras donzelas que acompanham Beatriz, para não levantar suspeitas. O fato é percebido por Beatriz e mal interpretado, e a “gentilíssima” deixa de saudá-lo.

 

Se liga na tradução do Soneto:

 

A toda alma gentil presa de amor
em cuja direção parte este escrito,
peço resposta sobre o que vai dito
e saúdo em Amor, seu grão-senhor.
Finda a terceira hora antes do alvor
quando os astros mais brilham no infintio,
eis me aparece Amor trazendo inscrito
em si um ar que eu lembro com horror.
Alegre parecia, mas levando
meu coração na mão;no braço eu via
a minha dama em trapos ressonando
e ele a acordava, e o coração queimando
humilde e com receio ela comia.
Depois Amor partia, soluçando.

3 thoughts on “1º Soneto de Dante, Hannibal e a batalha de rimas de Antipasto”

  1. Gente , amei que vocês traduziram esse Soneto I , eu já havia decorado a versão do filme declamada pelo Anthony , procurei a tradução da versão declamada pelo Mads mas não encontrava . Em breve estarei decorando .
    Muito obrigado !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *