Hannibal e Música Clássica – Variações Goldberg

“O Dr. Lecter brincou com a comida enquanto escrevia, desenhava e fazia bonecos em sua prancheta com uma caneta de ponta de feltro. Ele enfiou o K7 no toca-fitas preso à perna da mesa e fê-lo funcionar. Glenn Gould tocava as Variações Goldberg ao piano. A bonita música, acima dos problemas da ocasião, enchia a cela iluminada e a sala onde estavam os guardas.
Para Dr Lecter, (…) as notas da música se separavam em movimentos sem perder a cadência. Mesmo as vibrações prateadas de Bach eram notas discretas reverberando no aço que o rodeava. ”

Trecho do livro “O Silêncio dos Inocentes”, de Thomas Harris

Doutor Hannibal Lecter, um homem dotado de muita cultura, um gosto estético apurado e capacidade de matar sem aumentar seus batimentos cardíacos, tem muitas de suas cenas acompanhadas por música clássica. Ao contrário dos personagens da literatura mundial cruel e rasa, Hannibal tem foco no mundo das artes, um apaixonado por Dante Alighieri, pinturas famosas e música. Um homem que sabe tocar piano/cravo e coloca em prática os ensinamentos recebidos quando criança, combinando o prazer de assistir a o espetáculo de uma Ópera ao assassinato de um inspetor de polícia que o persegue.

Podemos ver nos filmes e na Série Hannibal como a música faz parte da vida do protagonista, mas é no livro de Thomas Harris que temos noção do quanto é perturbador imaginar um homem massacrar pessoas em pouco mais de 1 minuto e, de olhos fechados e coberto de sangue, parar para apreciar uma de suas músicas favoritas.

“Escutando a música, encostou-se de lado na pia, com o rosto na mão, os estranhos olhos castanhos cerrados. As Variações Goldberg interessavam-no estruturalmente. (…) Acompanhava com a cabeça, sua língua movendo-se pelas pontas dos dentes. Toda a volta por cima, toda a volta por baixo. Foi uma longa e interessante viagem para sua língua, como uma boa caminhada pelos Alpes.”
O Silêncio dos Inocentes, Thomas Harris




Variações Goldberg

Variações Goldberg, BWV 988, é uma obra para cravo de Johann Sebastian Bach, composta por uma ária e um conjunto de 30 variações. Publicado pela primeira vez em 1741, o trabalho é considerado um dos mais importantes exemplos da forma variação. As variações são em homenagem a Johann Gottlieb Goldberg, que pode ter sido o primeiro artista.

As Variações Goldberg –cânones, fuguetas, uma abertura francesa e várias danças – marcam a transição para as obras da última fase de composição de Bach. Nelas, o aspecto lúdico está perfeitamente associado à erudição e à experiência ou, se preferirmos, o contrário. A obra tem por base um jogo de opostos entre o rigor formal e a rigidez da estrutura, de um lado, e a virtuosidade lúdica e a liberdade no desenvolvimento das variações, de outro.

A repetição familiar

O princípio das variações consiste em apresentar um tema e variá-lo. Assim, a impressão que o ouvinte tem é que está ouvindo algo que lhe é familiar e, ao mesmo tempo, novo. Dessa forma, o jogo da livre imaginação irradia uma sensação de grande tranqüilidade através do que permanece igual, e estimula o ouvinte com algo que é variado e novo. E, além disso, em cada variação o elemento conhecido está associado, quase sem exceção, a um canto belo e fluido.

O sentimento despertado pela Ária da Capo fascina e destaca o comportamento de Hannibal, personagem impiedoso que tem um senso de justiça muito particular: não punir pessoas que não o merecem, mas apenas os rudes e mal educados.

Depois de uma declaração da ária no início da peça, há trinta variações. As variações não seguem a melodia da ária, e sim usar a sua linha de baixo e progressão de acordes.

O romance de Thomas Harris está cheio de assassinatos cruéis e perturbadores como a música e, ao mesmo tempo, leva o leitor a sentir o que o protagonista sente. Música clássica e atitudes, cheias de nuances e significados, o que torna Hannibal um personagem incomum. E adorável.

tumblr_n5mrf5UpC41sp9f4bo2_400




2 thoughts on “Hannibal e Música Clássica – Variações Goldberg”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *