Hannibal e uns bons drink: Punch Romaine

– Punch Romaine. Um coquetel criado por Escoffier. Servido à primeira classe do Titanic no último jantar deles.
– O comitê tem um novo curador!
Foi assim que o Professor Sogliato, que, desde o primeiro episódio da terceira temporada de Hannibal, tenta desdenhar e tirar os méritos do novo curador do Studiolo, fez seu último brinde.

Poncho Romaine, servido no último jantar do Titanic

O Ponche a la  Romana é uma mistura de sorbet¹, encontrada em um menu  “sobrevivente” do último jantar servido aos passageiros da primeira classe, antes do desastre do Titanic².

tumblr_inline_nq75pys0aO1r3ob2t_540

Último jantar do famoso transatlântico foi influenciado pela cozinha elaborada Eduardiana³, bem temperada e apimentada, aperfeiçoada pelo mestre francês Auguste Escoffier. Os pratos principais foram feitos com molhos ricos em gordura e guarnições. Por isso, Escoffier serviu como acompanhamento o Punch Romaine, em taças de sobremesa como um limpador do palato, oferecendo o suco de limão, a suavidade aveludada do merengue e o gelo cítrico com um pouco de álcool.

Tecnicamente, nunca bebi, mas já quero!
Tecnicamente, nunca bebi, mas já quero!

Mas será que é fácil de fazer Punch Romaine? CLARO QUE NÃO. Já viu Hannibal apresentar alguma coisa simples, seja um jantar, uma bebida ou um assassinato? Existem diversas receitas dessa bebida por aí, mais simples, mas vamos apresentar aquela que foi preparada por ele no episódio Secondo, da Terceira Temporada:

PUNCH ROMAINE

7-Titanic-Cocktail-400

½ xícara  de açúcar de confeiteiro
4 limões sicilianos
Água
2 claras de ovos
¾ de xícara de açúcar
90 ml de água
235 ml de Rum envelhecido
235 ml de Champagne

 

Gelo de água de limão :

1 Descasque os limões, tirando o mínimo possível da película branca.

2 Adicione essas cascas em uma tigela e as cubra completamente com açúcar, deixando descansar por 1 hora.

3 Adicione uma xícara de suco de limão *4 limões grandes* – e mexa para dissolver o açúcar.

4 Coe as cascas

5 Adicione água suficiente até completar ¼ de líquido

6 Congele em um recipiente de sorvete ou em um pote, somente até ficar parcialmente congelado.

 

Merengue Italiano:

1 Bata as claras em neve, até formar picos firmes, reserve.

2 Adicione ¾ de açúcar e os 90 ml de água em uma panela

3 Ferva a mistura de açúcar até ferver, em fogo médio, mexendo ocasionalmente para dissolver o açúcar.

4 Ferva até atingir o “ponto de bala” (jogando a calda em um copo com água, ela deve fazer um barulho de vidro ao atingir o fundo) ou 113-114C

5 Retire o xarope da panela e com movimentos lentos, adicione as claras em neve.

6 Mexa até todo o xarope estar incorporado às claras, formando uma mistura homogênea.

Montagem:

Em uma máquina de sorvete ou uma tigela gelada, adicione o merengue ao gelo de limão, mexendo gentilmente até obter uma mistura.

Logo antes de servir, adicione o rum e a champagne lentamente, mexendo constantemente.

As misturas devem ser grossas e cremosas o suficiente para serem bebidas sem o auxílio de talher.

Sirva imediatamente. ( É sério )

 

Rendimento: 12 porções


Quer mais receitas traduzidas de Hannibal? AQUI TEM, É SÓ CLICAR!


Ficou com aquela cara de “mas… UÉ?” Fica não, a gente explica o que é:

¹Sorbet: Sobremesa gelada.

menutitanic
O menu sobrevivente do último jantar do Titanic, com esforço você consegue ler ali em Sixth Course: Punch Romaine. Legal né?

²Titanic: foi um navio de passageiros britânico construído pelos estaleiros da Harland and Wolff em Belfast para a White Star Line. Foi a segunda embarcação da Classe Olympic de transatlânticos depois do RMS Olympic e seguido pelo HMHS Britannic. Projetado pelos engenheiros navais Alexander Carlisle e Thomas Andrews, sua construção começou em março de 1909 e ele foi lançado ao mar em maio de 1911. O Titanic foi pensado para ser o navio mais luxuoso e mais seguro de sua época, com a imprensa contemporânea lhe apresentado ao público como “inafundável”.

A embarcação partiu em sua viagem inaugural de Southampton para Nova Iorque em 10 de abril de 1912, no caminho passando em Cherbourg-Octeville na França e por Queenstown na Irlanda. Ele colidiu com um iceberg às 23h40min do dia 14 de abril e afundou na madrugada do dia seguinte com mais de 1 500 pessoas a bordo, sendo um dos maiores desastres marítimos em tempos de paz de toda a história. Seu naufrágio destacou vários pontos fracos de seu projeto, deficiências nos procedimentos de evacuação de emergência e falhas nas regulamentações marítimas da época. Comissões de inquérito foram instauradas nos Estados Unidos e no Reino Unido, levando a mudanças nas leis internacionais de navegação que permanecem em vigor mais de um século depois.

³Era Eduardiana: A Era Eduardiana ou período eduardiano corresponde ao período de 1901 a 1910 no Reino Unido, durante o reinado do rei Eduardo VII.

A morte da rainha Vitória do Reino Unido em janeiro de 1901 e a sucessão de seu filho Eduardo, marcaram o fim da era vitoriana. Enquanto Vitória tinha evitado a sociedade, Eduardo era o líder de uma elite elegante que definia um estilo influenciado pela arte e moda da Europa continental — talvez por causa da predileção do rei em viajar. A época foi marcada por mudanças significativas na política, como setores da sociedade que tinham sido em grande parte excluídos do poder empunhando no passado, tais como trabalhadores e mulheres comuns, tornou-se cada vez mais politizado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *